A entrega do Eurofighter, com destino à 51ª Asa de Istrana, representa um objetivo alcançado graças à estreita colaboração e sinergia entre a indústria nacional e as Forças Armadas

Retirado da planta Caselle (PARA), o últimoEurofighter Typhoon produzido por Leonardo foi entregue, durante uma cerimônia na sexta-feira 23 Outubro, para a Força Aérea. A aeronave será uma dasperseguindo interceptores comprometido diariamente em proteger os céus de nosso país. O Chefe do Estado-Maior da Aeronáutica esteve presente no evento, Equipe general da Força Aérea Alberto Rosso, e o CEO daLeonardo, Alessandro Profumo.

A entrega desta última aeronave, que completa a frota de Eurofighters que constituem o principal instrumento do articulado e complexo sistema de defesa aérea nacional e da OTAN, representa um marco para o programa“. Estas são as palavras do Chefe do Estado-Maior da Força Aérea, General do esquadrão aéreo Alberto Rosso, à margem da cerimônia de entrega da aeronave, destinado a51° Rebanho de Istrana. “a aeronave, que provou ser uma máquina confiável, flexível e versátil, está se preparando para enfrentar novos desafios tecnológicos para continuar a garantir da melhor forma a segurança dos céus italianos e a defesa dos interesses nacionais, graças a uma ampla gama de capacidades operacionais complementares às dedefesa Aérea, dall’Reconhecimento de vigilância de inteligência(ISR) até’ataque ao solo(papel de balanço). As capacidades que esta estrutura hoje pode exprimir são o resultado da estreita e fecunda colaboração entre’indústria de aviação nacionale a Força Aérea; uma sinergia que, bem como apoiar e fortalecer o “sistema nacional”, contribui significativamente para cumprir nossa missão, osegurança dos cidadãos.”

O caminho de colaboração que hoje celebramos, representado por uma aeronave com capacidades extraordinárias, é o resultado de uma visão estratégica supranacional de longo prazo, política e indústria, que permitiu à Europa ter o seu próprio ativo de segurança e beneficiar de um programa que tem conseguido ser um acelerador tecnológico e um motor de desenvolvimento único na história do nosso continente“, declarou Alessandro Profumo, CEO da Leonardo. “O Eurofighter Typhoon será um elemento central no caminho da inovação que visa salvaguardar a plena soberania tecnológica europeia nos próximos anos“.

O’Euro Lutador nasceu como uma plataforma aberta, com um programa de atualização e aprimoramento tecnológico bem definido, que garante sua competitividade ao longo de seu ciclo de vida. Tecnologias em constante evolução, tanto a bordo da aeronave quanto no contexto de apoio logístico, aumentar sua eficácia operacional, habilidades de sobrevivência e economia de gestão. O programaEuro Lutador forma o núcleo dotecnologia aeroespacial e defesa europeia e, como tal, fornece às indústrias envolvidas umprimazia tecnológica que garantirá a competitividade em muitos programas da próxima geração futura.

Leonardo com suas atividades, percebe sobre 36% do valor de todo o programa, com papel fundamental no componente aeronáutico e na eletrônica embarcada, que vê a empresa responsável por dois sensores primários (radar e IRST) e di parti fondamentali dell’avionica. Leonardo è protagonista anche dell’evoluzione dellEuro Lutador, grazie al nuovo radar a scansione elettronica AESA (Ativo matriz varredura eletrônica) che incrementaperformance e a competitividade da aeronave com vistas a garantir um mercado internacional expressivo para a próxima década. Na fábrica de Caselle, oEuro Lutador destinado à Força Aérea do Kuwait, o primeiro a ser entregue nesta configuração avançada

O programa Eurofighter é administrado porconsórcio Eurofighter GmbH, empresa com sede em Munique (Alemanha) participado por leonardo, BAE Systems e Airbus Defense & Espaço para a Alemanha e Espanha. Do lado do governo, è gestito dall’agenzia NATOEuro Lutador & Tornado Management Agency (NETMA), costituita per soddisfare le esigenze di approvvigionamento delle Forze Aeree dei quattro Paesi partecipanti: Itália, Regno Unito, Germania e Spagna.

Oltre ai quattro paesipartner, che hanno già ordinato 472Tufão, i clienti internazionali includono oggi Arabia Saudita (72 velivoli), Áustria (15), Oman (12), Kuwait (28) e Qatar (24), per un totale di 623 aerei ordinati.

Em termos de emprego, o programa Eurofighter envolve mais do que 100 mil pessoas das quais sobre 20 mil na italia (entre emprego direto, indireto e induzido), com uma distribuição no território que pode ser estimada igual a 50% no norte e al 50% no centro / sul.

Per ilTufão eles trabalham na manufatura também 400 provedores, das quais 200 na Italia.

fonte:
texto: Aviação – Escritório de informação pública – Roma
foto: Aviação

YouTube
Instagram